segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Correndo com Dean Karnazes em São Paulo

Texto e fotos de Marcos Viana "Pinguim"

Olá Pessoal !

Nesse fim de semana eu e mais uma centena de corredores tivemos o privilégio de correr com o ultramaratonista Dean Karnazes pelas ruas da cidade de São Paulo.
Começamos a correr com ele no momento da largada que foi as 19 horas do dia 12 de setembro na Av. Hélio Pellegrino 100, em frente a Frutaria São Paulo, nesse dia acompanhei o grupo até a entrada do Parque do Ibirabuera, correndo uma distância de 6,5 km.
Voltei para casa para dormir, e as 7 horas da manhã do dia 13 de setembro já estava na Av. Paulista em frente ao Masp, da onde partimos para o grande giro pela zona sul de São Paulo, quando paramos em frente ao Estádio do Morumbi tinhamos corrido mais 45 km (segundo as marcações dos GPS de alguns companheiros da corrida), e depois corremos mas 17 km até o Shopping Morumbi onde finalizamos a aventura, ou seja corri 6,5 km no dia 12 e 62 km no dia 13 (meu recorde pessoal) totalizando 68,5 km do Desafio 24 horas do Dean Karnazes.

A entrega do Kit

A entrega dos kits foi na loja The North Face do Shopping Morumbi, e era composto de uma bela camisa confeccionada com fibra de bambu, um par de meias GU, um repositor energético GU, um garrafa de 505 ml de água enriquecida de vitaminas sabor limão da marca Waterplus e um livro escrito por Dean Karnazes com o título 50 maratonas em 50 dias da editora Leblon.





















































Eu e os vendedores da The North Face

A largada do Desafio 24 horas


As 7 horas do dia 12 de setembro ocorreu o primeiro encontro de Dean Karnazes com os participantes do Desafio 24 horas, muito simpático e sempre sorridente, pousou para inúmeras fotos ao lado dos seus admiradores e concedeu muitos autógrafos.

















Eu e o Dean Karnazes























Correndo 68,5 km ao lado de Dean Karnazes

Do Masp até o Parque Villa Lobos

Depois de ter corrido com Dean Karnazes da Frutaria São Paulo que fica na Hélio Pellegrino até a entrada do Parque do Ibirapuera totalizando 6,5 km resolvi ir para casa para dormir e descançar para recuperar as energias para poder correr e fotografar a aventura de Dean durante o dia, começamos a correr da 7h20 partindo de frente do Masp e indo em direção ao Parque Villa Lobos onde demos uma parada para se hidratar e se alimentar.
























































































Dean Karnazes assim como a maioria dos ultramatonistas tem uma dieta rica em carboidratos e frutas, na foto vemos Dean colocando sal na maça para se proteger principalmente da hiponatremia, podemos observar que ele também ingere pizzas e outros lanches pelo caminho.

Partindo para o Bosque do Morumbi


Após a parada em frente ao Parque Villa Lobos a próxima etapa era correr até chegar na Praça Alfredo Volpi (Bosque do Morumbi), segundo informações passadas pela organização do evento o plano original era passar por dentro da USP, mas infelizmente as autoridades locais não permitiram, a organização então decidiu contornar a USP passando pela Av. Jaguaré e pela Av. Corifeu de Azevedo Marques, foi exatamente no trecho da Corifeu que Dean Karnazes e todos que o acompanhavam enfrentaram talvez o ponto mais dificil do desafio, pois somando-se o sol escaldante, mais a falta de árvores, mais o asfalto irregular e esburacado juntava-se o pior de todos os vilões aquele que Dean e eu tanto combatemos nas nossas entrevistas, a temida poluição atmosférica dos veiculos automotores que nesse trecho até no domingo era alta, mas finalmente conseguimos chegar no Bosque do Morumbi onde demos mais uma parada para hidratação, alimentação e descanço.





































































Partindo para o Estádio do Morumbi

Saimos do Bosque do Morumbi para correr pelas belas e arborizadas alamedas do bairro com várias subidas e descidas, isso ajudou muito na desintoxição do aparelho respiratório tão prejudicado no trecho anterior, depois de passar por várias ruas seguimos para o Estádio do Morumbi, adicionando na minha rodagem deste domingo 45 km (desde o Masp), nesse local Dean colocou seus pés no gelo.






































Ponte Estaiada e Chegada

Nesse trecho estava pensando em parar, já estava no ritmo de corredor de fim de maratona, mas depois de me alimentar bem inclusive comendo dois pedaços de pizza, um lanche de queijo com presunto, bebido 220 ml de achocolatado em caixinha e duas latinhas Red Bull fiquei animado ainda mais com o alto astral do Dean Karnazes e do grupo todo, neste trecho nos acompanhou o maratonista várias vezes campeão Adrino Bastos que inclusive pediu para o Dean Karnazes autografar na camisa dele, partimos em direção da famosa Ponte Octávio Frias de Oliveira popularmente conhecida como Ponte Estaiada, e depois para finalizarmos no Morumbi Shopping dentro do tempo estipulado, uma proeza da organização que sendo especialista em corrida de aventuras sempre tem o total controle do cronograma dos locais e dos horários de parada e partida, estão todos de parabens.























Valderez Pereira e Jorge Cerqueira receberam prêmio por acompanhar Dean Karnazes durante todo percurso.

















Dean Karnazes e Adriano Bastos

Repercução na Mídia

Veja a reportagem que foi transmitida no programa Fantastico da Rede Globo:




Veja também

Artigo sobre Dean Kanazes na Wikipédia (em inglês)
Valmir Nunes o Legendário Ultramaratonista do Brasil
Yiannis Kouros a Lenda das Ultramaratonas
Maratonista de 70 anos conseguiu correr maratona abaixo de 3 horas treinando em torno do cemitério
Marcos Viana Pinguim o Corredor do Cemitério

Ligações externas

Site oficial do Dean Karnazes

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Valmir Nunes o Legendário Ultramaratonista do Brasil

Olá Pessoal !

Neste "Post" conto um pouco da história de mais um grande campeão de Ultramaratonas, vou falar de Valmir Nunes, mas antes achei oportuno passar o seguinte comentário:

Estudando a história do Valmir Nunes, de Yiannis Kouros e de Ed Whitlock, ambos corredores de longa distância que bateram os mais incríveis recordes mundiais jamais imaginados, e que para isso tiveram que desafiar os limites da resistência do corpo humano, correndo o risco de ficar entre a vida e a morte, todos eles dependeram de uma relação muito forte com os cemitérios, no caso do Valmir Nunes em quase toda sua carreira ele foi patrocinado pelo cemitério Memorial, o Yiannis Kouros mora numa residência com vista para o Cemitério de Trípoli, e o Ed Whitlock praticamente só treinou em torno do Milton Evergreen Cemetery, que fica a 500 metros de sua casa.

Não pode ser mera coincidência, mas como dizia William Shakespeare, “Há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que possa imaginar nossa vã filosofia”

Valmir Nunes é um ultramaratonista brasileiro que nasceu na cidade paulista de Santos, no dia 16 de janeiro de 1964.

Valmir sempre foi apaixonado por esporte, sendo sua primeira paixão, o futebol. Como corria muito atrás da bola sem muito sucesso, Valmir, aos 16 anos acabou abandonando o futebol e partindo para o esporte que o lançou ao mundo, o atletismo.

Aos 18 (dezoito) anos de idade, Valmir lutou seriamente contra uma doença grave que colocava em risco a vida do atleta. Após essa importante vitória, Valmir que até então era corredor de provas de rua (10 km, meia maratona e maratonas), resolveu encarar novo desafio. Aos 22 (vinte e dois) anos, disputou uma competição de 100 (cem) kilometros, especializando-se nesse tipo de prova, sendo o melhor atleta da América Latina.


Em 1990, Valmir iniciou sua vida profissional, inspirado na leitura de livros espanhóis sobre ultramaratona no exterior. Essa leitura ocorreu após a vitória de Valmir na ultramaratona em Uberaba, com o tempo de 7 horas e 15 minutos.

Já em 1991, em Madrid, Valmir conseguiu abaixar o tempo, vencendo com 6 horas e 35 minutos, batendo o recorde da prova.

O primeiro grande sucesso marca a carreira de qualquer pessoa. Assim, aconteceu com Valmir Nunes, numa quarta-feira de maio de 1991, quando recebera a notícia que participaria da ultramaratona mundial na Itália, no próximo sábado. No mesmo dia, Valmir recebera um telefonema do presidente, avisando-o que a passagem estava na Confederação Brasileira de Atletismo, no Rio de Janeiro. Valmir viajou algumas horas depois. Porém, na Itália, desembarcou sexta-feira às 10 horas da manhã na cidade de Faenza local da chegada de lá foi para a cidade de Firenze local da largada, Nesse dia, Valmir prometera descarregar toda sua tristeza e, aconteceu o melhor possível, Valmir venceu os 100Km del Passatore, tendo sido destaque em todos os jornais e entrevistado por todas emissoras de televisão da Europa, pois pela primeira vez um brasileiro, o Valmir Nunes fora campeão do mundo batendo o recorde em campeonato mundial, com 6 horas e 35 minutos.

Após tantas entrevistas, Valmir só conseguiu avaliar o que representava o atletismo para o Brasil ao chegar no aeroporto em São Paulo, onde sua esposa Kelly Nunes era a única pessoa que o aguardava. Até ali, Valmir não tinha sequer patrocínio.

Uma prova que marcou muito, foi em fevereiro de 1993, em Nova York, quando Valmir deixou o forte calor do Brasil para enfrentar uma temperatura de 18 graus abaixo de zero. Valmir venceu, com o tempo de 6 horas e 45 minutos.

No ano de 1995, Valmir teve duas grandes vitórias, uma na Califórnia, 100 km e o mundial na Holanda, com 6 horas e 18 minutos, consagrando-se bicampeão mundial de 100 km.

Em março de 1998, Valmir necessitou de uma cirurgia no pé, afastando-se das corridas, pois durante 6 (seis) meses não podia colocar o pé no chão.

Recuperado, Valmir volta ao atletismo, acrescentando muitas vitórias ao seu vasto currículo. Vale ressaltar a vitória na Grécia na mais respeitada e aclamada ultramaratona do mundo que se chama Spartathlon, no ano de 2001, com um percurso de 246 (duzentos e quarenta e seis) kilometros, e que Valmir levou 23 horas e 18 minutos para vencê-la.

No Brasil, podemos destacar a vitória de Valmir Nunes na Travessia Rio-Santos, com 500 km, no ano de 1999 e ainda, no ano de 2002, quando percorreu 270 km em 24 horas, batendo o recorde das américas, sul americano e brasileiro.

Em janeiro de 2007, Valmir foi campeão da BR 135, em abril venceu o festival 24 horas na Grécia, venceu a Badwater, no Vale da Morte localizado ao longo da fronteira do estado da Califórnia com o estado de Nevada, nos Estados Unidos, batendo o recorde da prova em quase duas horas, tornando-se recordista mundial em 135 milhas.



Em agosto de 2008, Valmir Nunes já garantiu seu primeiro lugar, com 100 km, nos Estados Unidos, estabelecendo o novo recorde da disputa, com apenas 8 horas e 22 minutos que até então era de 10 horas e 14 minutos.

Referências

Página da Câmara Municipal de Santos.

Ver também

Yiannis Kouros a Lenda das Ultramaratonas
Maratonista de 70 anos conseguiu correr maratona abaixo de 3 horas treinando em torno do cemitério
Marcos Viana Pinguim o Corredor do Cemitério

Ligações externas

Site oficial do Valmir Nunes (em português)
Cemitério Memorial de Santos (em português)
Artigo detalhado sobre os 100Km del Passatore (em italiano)
Site oficial dos 100Km del Passatore (em italiano)
Artigo detalhado sobre o Spartathlon (em inglês)
Site oficial do Spartathlon (em inglês e grego)